top of page
  • Foto do escritorRedação

Passeio pelo ABC Paulista encerra a terceira temporada do MISTURA PAULISTA



Mariana Aldano e Filipe Gonçalves partem de trem turístico para desvendar a região

Berço do sindicalismo no estado de São Paulo, o ABC Paulista tem muito mais história para ser contada. É o que revelam Mariana Aldano e Filipe Gonçalves neste sábado, 10 de junho, no último episódio desta temporada do ‘Mistura Paulista’. Dentro de um trem da década de 60, totalmente reformado, a dupla sai de São Paulo, rumo a Paranapiacaba, distrito de Santo André, primeira das cidades que compõe a sigla do ABC, que abrange ainda São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul e também contempla mais quatro municípios: Diadema, Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires e Mauá.

“Foi muito especial falar sobre as cidades do ABC, porque foi lá que eu nasci e cresci. Pude apresentar algumas das minhas comidas preferidas da vida, como um bolinho de carne que, para mim, é o melhor do mundo!”, celebrou Mariana, que, neste programa, se orgulha ainda de contar histórias e revelar lugares nada convencionais: “Um dos mais legais é o castelo medieval de Ribeirão Pires. Não é de brincadeira. É real, com construção inspirada em castelos europeus. Tem calabouço, labirinto e morcegos de verdade”, alerta ela, referindo-se à moradia construída por Robson Miguel, que visitou mais de 70 castelos até erguer o seu, cheio de passagens secretas.

Em “São BerLondres”, como os moradores costumam chamar a cidade por conta do clima frio, Mariana provou, além do bolinho de carne, chuleta paulista, polenta, e ainda resumiu como são relações que dominam a região: “Quem é de São Bernardo, ou é metalúrgico, ou é filho de metalúrgico ou conhece alguém que é metalúrgico”, sentenciou ela.

Em São Caetano do Sul, Mariana Aldano conheceu o maior tatame fixo da América Latina, que oferece uma infinidade de aulas de lutas marciais, e onde iniciantes treinam com atletas de alto rendimento como os campeões olímpicos de taekwondo Ícaro Miguel Soares e Caroline Juma Gomes Santos. “De novo, eu estava no meu território. Sou faixa roxa de jiu-jítsu e as artes marciais são uma parte muito importante da minha vida. Ter a chance de fazer essa reportagem ali, com meu quimono e até lutar um pouquinho. Foi legal demais!”.

Em Santo André, Filipe Gonçalves conheceu uma loja que se propõe a ser uma versão da Galeria do Rock, de São Paulo (capital), e encontrou tudo relacionado ao universo do gênero musical, como álbuns clássicos, livros, roupas, instrumentos, entre outros itens. Em Mauá, o repórter descobriu por que o município é conhecido como a cidade da porcelana e treinou seu talento para a pesca.

“Esse último programa foi muito legal de fazer, porque a gente vê a força que tem a região do ABC. São sete cidades ricas em cultura, esporte e gastronomia. Tem tudo a ver com São Paulo. Elas crescem junto da capital, mas têm características específicas. Cada uma tem uma origem diferente, um espaço de lazer, algo gostoso para comer, típico daquela região”, observa ele, que ainda fez trilha e rapel na Pedreira de Rio Grande da Serra e conferiu uma batalha de rima em Diadema: “Os jovens levam o próprio som e fazem as batalhas, que, muitas vezes, são como um grande grito, um grito de revolta, e onde eles conseguem amplificar suas próprias vozes”.

O ‘Mistura Paulista’ foi ao ar neste sábado, 10 de junho, para o estado de São Paulo, após o ‘Jornal Hoje’.



O Mistura Paulista apresentou o trem turístico que vai até Paranapiacaba

Comments


bottom of page