• Redação

Futuro centro oncológico do AME Santo André recebe visita do Governador do Estado



Equipamento, que prevê realizar 400 infusões de quimioterapia por mês em pacientes em tratamento contra o câncer, também teve acompanhamento do prefeito Paulo Serra

Santo André, 11 de julho de 2022 - O AME (Ambulatório Médico de Especialidades) Santo André, na Vila Luzita, recebeu as visitas do prefeito Paulo Serra e do governador Rodrigo Garcia na manhã desta segunda-feira (11). Ambos foram ao local conhecer o espaço que, em breve, receberá a estrutura para atendimento de pacientes de oncologia. Os gestores aproveitaram a oportunidade e também estiveram na Chácara Baronesa, a qual terá moradores transferidos para duas áreas da cidade onde serão construídas aproximadamente 1.000 unidades habitacionais.

A partir de setembro, o AME oferecerá atendimento com exames, consultas e sessões e quimioterapia. Até o fim do ano, estão previstas pelo menos 464 infusões no AME, mas, a partir de 2023, a intenção é realizar 400 quimioterapias por mês. O local servirá como retaguarda para o Hospital Estadual Mário Covas, que seguirá abrigando as cirurgias do ramo, por serem de alta complexidade.

“A implantação do setor oncológico no AME Santo André nos dará capacidade para realizar 400 infusões de quimioterapia, além de possibilitar atendimento integral para pacientes com câncer, que vão desde diagnóstico, cirurgias e, agora, com a realização do tratamento. Uma grande conquista para a Saúde da nossa cidade e no cuidado com a nossa gente”, afirmou Paulo Serra.

Esta adaptação à qual a unidade de saúde andreense está passando faz parte do programa AME Oncologia, lançado em junho pelo governo do Estado. “Todos os AMEs do Estado avançam para o atendimento à oncologia e ao combate ao câncer. Fizemos visita ao antigo auditório dessa unidade que será completamente transformado para atendimento 100% oncológico. O câncer é doença difícil, mas quando enfrentada mais perto da família e de maneira humanizada, é forma de ajudar o paciente a passar por este momento de dificuldade”, salientou Rodrigo Garcia.

“Será um braço (do Mário Covas) para o tratamento de quimioterapia, para que pacientes não sejam referenciados para outros hospitais, longe da região. É um esforço para aproveitar melhor o que tem, aumentar a eficiência do equipamento e incluir novas tecnologias para atender mais pessoas nos mesmos lugares”, continuou o governador do Estado.

Atualmente, o AME realiza cerca de 6.800 atendimentos de consultas médicas, 500 cirurgias de média e baixa complexidade, 10.000 exames diagnósticos como tomografia, densitometria, endoscopia, colonoscopia e outros.

Chácara Baronesa - Paulo Serra e Rodrigo Garcia estiveram também na Chácara Baronesa, onde inicialmente visitaram alguns moradores antes de um discurso à população, que será cadastrada para, posteriormente, ser transferida a duas áreas – uma no Caminho dos Vianas, no Jardim Irene, outra no Conjunto Guaratinguetá, no Jardim Alzira Franco -, onde serão construídas 1.000 unidades habitacionais, por meio de convênio entre a Prefeitura, a EMHAP (Empresa Municipal de Habitação Popular de Santo André) e o Estado (via CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo).

O investimento do Estado é de aproximadamente R$ 160 milhões (o convênio já foi assinado), enquanto a contrapartida da Prefeitura é a cessão das áreas para construção das moradias. Posteriormente à retirada das famílias, o local onde hoje estão atualmente as residências sofrerá intervenção e será incorporado ao Parque Estadual Chácara Baronesa.

“Estamos aqui para, depois de 30 anos, resolver essa questão habitacional e ambiental da Chácara Baronesa. Tinha muita gente desconfiada, mas o convênio foi assinado e publicado, temos as áreas municipais. Claro que ainda tem processo pela frente de licitação, contratação, mas com muita tranqüilidade a gente sabe que agora a questão da Baronesa chegou à sua solução definitiva. O primeiro trabalho é o cadastramento das famílias. Este processo que vai dizer exatamente quantas unidades serão construídas. O importante é ressaltar que não deixaremos nenhuma família para trás”, definiu Paulo Serra.

“Estou vindo reforçar o compromisso do governo do Estado de São Paulo com a cidade de Santo André na solução definitiva da Chácara Baronesa. Em muitos locais o Estado pode entrar, intervir, urbanizar e regularizar. Em muitos outros, isso é proibido, como a Baronesa (que é uma Área de Proteção Ambiental). Então ou o Estado e a Prefeitura arrumam solução de construir unidades habitacionais, fazer a transferência das famílias e transformar isso aqui efetivamente em um parque, ou vamos ficar eternamente sem solução. Transformamos sonho antigo da cidade em realidade. Foram anos de espera, mas estamos aqui para reforçar esse compromisso pessoalmente”, concluiu Rodrigo Garcia.

| Texto: Derek Bittencourt/PSA | Fotos: Angelo Baima e Alex Cavanha/PSA