top of page
  • Foto do escritorRedação

Ex-prefeito de Mauá tem contas rejeitadas pela Câmara: impacto na futura candidatura




A Câmara de Mauá confirmou a rejeição das contas de 2019 do ex-prefeito Atila Jacomussi, respaldando decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Este revés, com 14 votos a favor da confirmação do parecer desfavorável, traz desafios significativos para a possível candidatura à prefeitura no próximo ano.


O parecer do TCE, emitido pelo conselheiro Antonio Roque Citadini, apontou elevação do déficit orçamentário e descumprimento de índices de pagamento de precatórios durante a gestão de Atila. Citadini ressaltou a preocupação com a falta de liquidez do município, revelando uma disponibilidade financeira mínima para quitar obrigações de curto prazo.


No entanto, a decisão da Câmara não foi unânime. Nove vereadores votaram em defesa de Atila, contrariando o parecer do tribunal. Esse embate político na casa legislativa lança incertezas sobre o futuro político do ex-prefeito, especialmente à luz da Lei da Ficha Limpa, que tende a aplicar restrições a políticos condenados por órgãos colegiados.


A repercussão dessa rejeição das contas pelo legislativo municipal impacta diretamente na possibilidade de uma candidatura de Atila Jacomussi à prefeitura no próximo pleito. O atual deputado estadual, diante desse cenário desfavorável, sinaliza uma possível judicialização do caso para buscar reverter a decisão.


A incerteza política agora paira sobre o caminho de Atila Jacomussi, enquanto o cenário eleitoral de Mauá se torna mais complexo com a possibilidade de restrições legais em sua eventual candidatura.

bottom of page