top of page
  • Foto do escritorRedação

Estudantes da FGV fazem imersão no sistema de saúde de Diadema



Disciplina de Introdução à Gestão do Sistema de Saúde na Faculdade Getúlio Vargas é fruto da parceria que leva experiência prática para alunos e novas soluções para desafios do poder público

As estratégias adotadas pela rede municipal de saúde de Diadema para atendimento aos moradores vão embasar 18 universitários do curso de Administração Pública da Faculdade Getúlio Vargas (FGV), que cursam a disciplina regular de “Projeto Aplicado: gestão do SUS no âmbito local” no segundo semestre de 2023. O objetivo é conhecer os instrumentos de gestão em âmbito municipal para identificar ações necessárias e aprimorar as políticas públicas voltadas ao sistema de saúde.

Para isso, entre os dias 8 e 18 de agosto, os estudantes fazem uma imersão em serviços da cidade como Unidades Básicas de Saúde (UBS), Pronto Socorro Central (PSC), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Quarteirão da Saúde (QS), Vigilância à Saúde, além de serviços de saúde mental, populações estratégicas e outros. Durante as visitas, conhecerão a realidade local de cada serviço, entrarão em contato com gestores, trabalhadores e usuários. Acompanham o grupo os professores da Universidade, Adriano Massuda e Elize Massard, e dois monitores, alunos de mestrado e doutorado da instituição.

“Vivemos um momento de reconstrução das políticas públicas pós pandemia e de tudo o que aconteceu no país. Gosto de trazer os alunos aqui, porque Diadema tem uma história peculiar, era uma cidade que não tinha praticamente nada e toda essa rede que vemos agora é resultado de muita mobilização, principalmente popular", ressaltou Massuda. "Aqui, conseguimos ver o quanto é possível avançar com o SUS, mas também o impacto do retrocesso recente", completou.

O docente relatou que os alunos já fizeram um trabalho inicial de exploração demográfica da cidade e que estão animados. "Um ponto importante a se destacar é a disponibilidade que o pessoal da rede tem em atender os nossos alunos e a expectativa que tem no trabalho deles. Mais uma vez quero agradecer a receptividade e acolhida”, concluiu.

A diretora geral do Quarteirão da Saúde, Maria Claudia Vilela, avalia a parceria como positiva tanto para universidade como para o poder público. “Aqui, os universitários têm contato com uma rede grande e que é muito potente. A grande diferença está nesse processo de aprendizado, de um lado os alunos fazem projetos que podem ser aplicados no dia a dia e eles consideram os nossos grandes desafios para fazer isso e, do outro, é bom para gestão municipal, porque eles compartilham conosco principalmente conceitos mais novos de administração pública, que nos ajudam e encontrar caminhos para avançar cada vez mais”, afirmou.

O estudante João Pedro Marques Cardoso está animado com a nova proposta universitária. “Minhas expectativas para esse semestre são as melhores possíveis. É incrível ter uma parceria com a gestão municipal e conseguir atuar no serviço público", relatou. "Pelas primeiras reuniões, já consigo visualizar a abertura que a Prefeitura tem em nos receber e como isso é impactante para um bom trabalho. Vamos coletar informações sobre os desafios da Secretaria de Saúde e, assim, desenvolver um plano de intervenção e/ou relatório que apoie a execução das políticas públicas”, explicou.

Modelo

Esta é a segunda vez que Diadema serve de referência para a disciplina regular da FGV. A primeira foi no segundo semestre de 2022. Entretanto, neste ano, foram feitas algumas modificações no escopo e a principal delas é que os alunos, que antes eram divididos em dois municípios, ficarão todo o semestre em Diadema.

Além da disciplina regular da Faculdade Getúlio Vargas, o município também foi cenário para quatro semanas de imersão entre outubro de 2021 e janeiro de 2023. Mais informações em https://portal.diadema.sp.gov.br/iniciativas-de-diadema-na-area-da-saude-sao-referencia-para-alunos-da-fgv/.

Por Renata Nascimento e Tatiana Ferreira

Foto: André Baldini

コメント


bottom of page